Costumo dizer que nós, humanos, habitamos tanto um universo interno quanto um universo externo ao nosso corpo. Esses dois universos, por sua vez, se conversam a todo o tempo. Estamos constantemente realizando uma mediação entre o que se passa dentro e fora de nós.

O processo de atingir estágios mais elevados de prazer durante as relações sexuais tem tudo a ver com a nossa capacidade de mediar esses dois universos e encontrar um estado de relaxamento profundo para mente e corpo, dando espaço para uma descarga mais intensa em prazer.

Esse é um desafio muito grande para as mulheres, principalmente no cenário das relações heterossexuais. Afinal, em que medida o universo externo contribui para que você possa de fato relaxar, baixar a guarda, sentindo-se inteiramente segura e tranquila de que ninguém irá te machucar, ofender ou julgar?

Com 59,7%* das mulheres relatando encarar dor durante as relações sexuais, não é de se espantar que 55,6%* delas tenham dificuldades para atingir o orgasmo. É muito comum ainda que algumas mulheres acreditem ter problemas fisiológicos devido a sua dificuldade em sentir prazer nas relações. No entanto, a maioria dos casos está relacionada questões emocionais e fatores externos que impossibilitam a nossa capacidade de relaxar profundamente, atuando como barreiras ao nosso prazer.

* 2016, Projeto de Sexualidade da Universidade de São Paulo (Prosex) e Pesquisa Mosaico 2.0 desenvolvidas pela FMUSP

Mas por que é tão importante atingir um estado profundo de relaxamento para vivenciar mais prazer nas relações?

Bom, o nosso prazer tem tudo a ver com uma porção do nosso cérebro chamada cérebro límbico. Essa é a região responsável por processar os sentimentos e emoções, literalmente nos dando a capacidade de SENTIR a vida. Para que possamos usar plenamente essa capacidade, ampliando nosso prazer nas relações, é necessário reduzir a atividade de outra região do nosso cérebro: o neocórtex.

O neocórtex é a porção do nosso cérebro responsável pela nossa racionalização, pelos nossos processos de tomada de decisão e pela nossa produtividade. Todo foco, medo, julgamento, tabu e listas de ocupação se concentram nessa região. Quando atingimos um estado de relaxamento, a atividade do neocórtex é reduzida e abrimos espaço no nosso sistema límbico para dar vazão às emoções e vivenciar prazeres mais intensos. Portanto, para que sejamos capazes de relaxar a este ponto, é necessário nada mais menos do que um ambiente seguro que favoreça muito a nossa tranquilidade e a nossa entrega. 

Conseguir esse cenário nos relacionamos é possível, mas ao mesmo tempo desafiador, considerando que ele depende da contribuição dos dois lados para que funcione. Por essa razão, é muito importante não deixar o seu prazer a cargo apenas da relação a dois. Principalmente se você sente que não explora todas as possibilidades de prazer do seu corpo durante a relação com outra pessoa. Dê a devida importância e prioridade ao seu prazer também na sua individualidade, criando seus próprios momentos de autocuidado e autoestimulacão. Talvez essa seja a melhor atitude que você possa tomar para ampliar sua capacidade de atingir prazeres mais intensos neste momento.

Costumo dizer que o banho é uma ótima oportunidade especial para desenvolver esse ritual de autoestimulacão. Afinal, essa é uma atividade que em geral fazemos todos os dias e na qual podemos contar com certa privacidade. No banho, é mais fácil que você se sinta em um espaço verdadeiramente seguro, onde você sabe que não será interrompida, o que já é meio caminho andado para entrar em um estado de relaxamento e ter prazer.

Muitas vezes entramos no piloto automático e tomamos aquele banho utilitário, rápido e sem conexão com toda a sensorialidade que essa atividade envolve, mas meu convite é que você aproveite essa oportunidade para fazer diferente. Mesmo durante um banho de 5 minutos, procure se conectar com o fluxo da água, note a sua temperatura, o contato com a sua pele nua, os cheiros e as texturas envolvidas.

Aproveite esse momento de privacidade para entrar em contato com o seu universo e descobrir as suas possibilidades de prazer. Toque o seu corpo, se afague, deslize suas mãos por cada centímetro quadrado da sua pele e vá reconhecendo suas paisagens sensoriais. Simbolicamente, lave com a água os seus tabus, seus medos, seu julgamento e aos poucos vá sentindo seu senso crítico dar lugar ao relaxamento, às sensações e aos prazeres intensos.

Já nos que diz respeito aos relacionamentos, temos que considerar a importância do diálogo na criação desse espaço seguro de expressão da sexualidade. Se você encontra mais dificuldades para sentir prazer acompanhada do que sozinha, este pode ser um dos fatores.

Quando a relação a dois não favorece o estado de relaxamento e entrega, o sexo não precisa ser necessariamente ruim, mas pode se tornar um território escasso ou pouco satisfatório em prazer, principalmente para as mulheres, por conta de todos os motivos que já mencionamos.

Portanto, procure abrir esse espaço de diálogo na sua relação, afinal, isso irá favorecer que ambos atinjam prazeres mais intensos durante a relação sexual. Converse sobre o que você gosta, o que não gosta, seus limites e o que você precisa pra se sentir relaxada ou o que te deixa desconfortável. Se possível, tenha essa conversa antes do sexo, ou em algum outro momento de descontração e leveza. Afinal, o momento em que já estamos nuas e expostas não é o mais favorável para tocar em assuntos sensíveis e pode, contraditoriamente, te deixar ainda mais tensa.

Aproveite nossos conteúdos e dicas para ampliar o seu repertório de prazer na vida. No nosso curso online A Revolução Será Prazerosa: 21 dias para construir uma nova relação com o seu prazer você encontra exercícios reflexivos e práticos para te ajudar nessa jornada individual. Ou confira ainda o nosso Curso Básico de Massagem Orgástica para Casais, onde você e sua(seu) companheira(o) terão uma grande oportunidade de ampliar a intimidade e a conexão no relacionamento.

Que tal continuar a leitura?

Institucional

Conheça a história da Prazerela

Tudo começou muito antes da Prazerela ser criada. Mariana Stock, fundadora da iniciativa, é curitibana, nascida de uma família branca […]

comentários

Seja a primeira a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *