Início » Autoconhecimento » O que é clitóris: entenda a estrutura e funcionalidade do órgão do prazer feminino
mulher com cara de satisfação

Para muitas mulheres que tem vulva uma parte fundamental da sua jornada particular de empoderamento do prazer passa pelo empoderamento do seu clitóris. Este órgão sexual sensível e potente que é capaz de proporcionar sensações intensamente prazerosas.

Negligenciado pela ciência moderna e ignorado no nosso processo de educação sexual, não é nada incomum que algumas pessoas com vulva, e muitas outras que se relacionam com pessoas que tem vulva, passem uma vida inteira sem saber o que é o clitóris e a sua função no prazer e no orgasmo.

Mas este artigo veio para jogar luz sobre essa questão e abordará algumas informações fundamentais para que todas as pessoas descubram o que é esta verdadeira usina do prazer feminino.

O que é o clitóris? Entenda sua anatomia!

formato do clitóris

O clitóris é um órgão sexual presente no corpo das pessoas que tem vulva. Vamos falar sobre a sua estrutura e função, mas antes de detalhar o que é o clitóris, cabe destacar para a leitora que vulva e vagina não são a mesma coisa e portanto devemos diferenciá-las.

Leia também: O que é empoderamento feminino? Importância e 7 princípios

Vagina: parte interna do genital

diferença entre vulva e vagina

Em geral a vagina é a única parte do genital feminino considerada nas aulas de educação sexual. Principalmente porque está envolvida no processo de reprodução humana, um tema de grande interesse da ciência moderna.

Com isso, nos habituamos equivocadamente a chamar todo o genital de “vagina” enquanto, na verdade, a vagina corresponde apenas ao buraco. 

Ela é formada pela passagem, ou canal, entre a região externa do genital e o colo do útero, e é por onde sai a menstruação e por onde sairá o bebê, caso a pessoa esteja gestante e tenha um parto vaginal.

Vulva: parte externa do genital

anatomia da vulva e localização do clitóris

Já a vulva corresponde a toda parte externa e visível do genital. E é formada pelos lábios externos (1) e internos (2), uma capuz de pele fina que recobre a pontinha do clitóris, a qual chamamos de prepúcio do clitóris (3), a pontinha visível do clitóris, a qual chamamos de glande clitoriana (4), a entrada da uretra (5), por onde sai o xixi, a entrada da vagina (6), por onde sai a menstruação, e dois pares de glândulas (7,8) responsáveis pelos fluidos da lubrificação e da ejaculação feminina.

Uma observação: as Glândulas Lucy & Betsey são mais comumente conhecidas por Glândulas de Bartholin, enquanto as Glândulas Anarcha são mais comumente conhecidas por Glândulas de Skene.

Pois bem, é na vulva que se concentra a maior parte da sensibilidade, especialmente na região da glande clitoriana, que possui cerca de 8 mil terminações nervosas. A glande peniana, por exemplo, conta com cerca de 4 mil terminações nervosas, metade dessa quantidade.

Desta comparação é possível perceber a tamanha sensibilidade que o clitóris possui.

Clitóris: fonte de prazer

anatomia do clitóris corpo feminino

Você já se perguntou “o que é clitóris”? O clitóris é como um iceberg. Na sua parte visível encontra-se a glande clitoriana (1), na região externa da vulva, mas a maior parte da sua estrutura fica localizada internamente no nosso corpo e é formada pelo corpo cavernoso (2), cruras (3) (ou raízes clitorianas) e bulbos vestibulares (4).

Toda essa estrutura é repleta de inervações, o que a torna muito sensível, e chega a ter um tamanho de 8 a 10 cm, com seus bulbos e raízes abraçando a estrutura do canal vaginal.

Tamanha sensibilidade tanto na glande quanto no corpo clitoriano é o que possibilita os orgasmos das pessoas com vulva. E por ser um órgão que vai muito além daquela pontinha visível do iceberg, é interessante pensar em toques e estímulos que contemple toda a região externa da vulva para, indiretamente, estimular também todo o clitóris.

Leia também: Como aumentar a libido feminina: 4 dicas e reflexões cruciais!

Se tão prazeroso, por que tão ignorado? Entenda a função do clitóris!

vulva e clitóris corpo da mulher

Historicamente o interesse da ciência moderna pela sexualidade feminina se resume aos aspectos patológicos e reprodutivos do corpo da mulher cisgênero.

Séculos de negligência pela ciência

Hipócrates, em 400 a.C., já sabia da existência do clitóris e imaginava que ele era parte fundamental da fecundação. Tempos depois foi descoberto que não.

cientistas homens fazendo experimentos

Cientistas, em sua maioria homens, tentaram por muito tempo encontrar a função do clitóris no organismo, mas como identificaram que a sua finalidade era “só” proporcionar prazer para as mulheres, por séculos o clitóris foi totalmente ignorado.

Foi somente em 1998 que sua anatomia completa, com detalhes de suas estruturas, tamanho e inervações, foi identificada pela pesquisadora Hellen O’Connell. Mas até hoje, em pleno século XXI, profissionais de saúde se especializam em ginecologia nas melhores universidades do Brasil praticamente sem saber o que é o clitóris e a sua função, pois nunca estudaram ou sequer viram a sua estrutura completa. Preocupante, não é mesmo?

Prazer é saúde sexual

mulher sorrindo cabelos ao vento

Para muito além de saber o que é o clitóris, nós acreditamos que profissionais de saúde deveriam fornecer um espaço seguro e acolhedor em seus consultórios para abordar todas as questões relacionadas à sexualidade, inclusive a possibilidade de descoberta pessoal do prazer. Afinal, o prazer também faz parte da nossa saúde sexual.

No entanto, sabemos que isso pode ser extremamente desafiador para profissionais que não viveram esse processo de descoberta na sua própria individualidade e tampouco tiveram uma formação adequada na universidade para orientar seus pacientes com o devido respeito e acolhimento.

É por isso que iniciativas como o Curso Introdutório de Sexualidade Positiva para Profissionais de Saúde da Prazerela se tornam tão urgentes e necessárias.

Orgasmo com penetração?

mulher com olhar desconfiado

Muitas pessoas, por desconhecimento dessa anatomia prazerosa dos corpos com vulva, continuam se prendendo a ideia de que o prazer feminino se obtém através da penetração na vagina, quando na verdade é o clitóris o verdadeiro órgão sexual do prazer.

Não temos nada contra a penetração, que pode ser gostosa e muito prazerosa, mas é necessário compreender que somente ela como protagonista do sexo é uma fonte muito escassa de prazer. Pois a região de maior sensibilidade do corpo está na parte externa da vulva e não no canal vaginal. Para o sexo ser algo realmente gratificante, portanto, o clitóris não pode ficar de fora dessa festa!

Orgasmo clitoriano vs orgasmo vaginal

mulher com girassol entre as pernas abertas

Algumas poucas mulheres conseguem atingir o orgasmo apenas com a penetração, sem estimular diretamente o seu clitóris, e algumas pessoas dão a esse orgasmo o nome de orgasmo vaginal.

Mas agora que você já sabe o que é o clitóris, e conhece melhor a estrutura completa que abraça o canal vaginal, fica mais fácil compreender que, na prática, orgasmo vaginal e orgasmo clitoriano são a mesma coisa. O que houve foi um estímulo indireto ao clitóris pela região interna do canal vaginal, através da penetração.

Ainda assim, cabe ressaltar que não são todas as pessoas que conseguem gozar somente com o estímulo da penetração. É preciso mais exploratória na região externa do genital para privilegiar o nosso prazer e os nossos orgasmos.

Leia também: Orgasmos múltiplos feminino: O que são? Qual a sensação?

Como estimular o clitóris? 5 dicas para ter mais prazer

mão feminina dedilhando ar

Existem muitos estímulos prazerosos que podem ser realizados no clitóris e na região externa da vulva. No entanto, aquele estímulo que será mais excitante para você, te levando ao orgasmo, é realmente um aspecto muito particular do seu prazer e do seu corpo.

É somente através da experimentação que você irá descobrir o que funciona melhor com você ou com a pessoa que você está se relacionando. Ainda assim, podemos dar algumas dicas preciosas:

Leia também: Dificuldade para gozar: o que pode estar te impedindo?

1. Comece a exploratória na sua individualidade

mulher deitada na cama se tocando no rosto

Na Prazerela costumamos dizer que a sexualidade é o capítulo 1, enquanto o sexo é o capítulo 2.

Sexualidade, para além de entender o que é o clitóris, é sobre a relação que você estabelece com o seu corpo, com o seu desejo, com os seus limites e com toda a sua sensorialidade.

Frequentemente nós pulamos o capítulo 1 e vamos direto para o capítulo 2, nos entregando para o sexo sem nenhuma base ou autoconhecimento sobre o nosso próprio corpo. A sugestão então é voltar para o capítulo 1.

Teste diferentes toques e movimentos pelo seu corpo e pela sua vulva e vá descobrindo o que te dá mais ou menos prazer. Para além do clitóris, explore seu corpo inteiro: nuca, seios, coxas, etc. Pois isso irá favorecer a sua excitação e o seu prazer.

2. Antes de tocar no corpo, toque no assunto

casal tocando o rosto um do outro

Já nos relacionamentos é muito importante incluir e dialogar com nossas parcerias sobre os nossos processos de autoconhecimento e autodescobertas. E esse é um processo muito mais fácil quando acontece fora da cama, antes do sexo.

Tente aproveitar momentos de convivência para puxar a conversa e contar sobre o que você tem descoberto.

Na ausência de palavras que expliquem como você gosta de ser tocada, mostre os movimentos nas suas mãos ou nas mãos da pessoa. Aí sim convide-a para partilhar dessas experimentações com você na cama. Um bom relacionamento se baseia na confiança para dialogar e compartilhar esse tipo de experiência juntos.

Leia também: Como melhorar o relacionamento? Dicas para mais prazer na intimidade a dois

3. Pressão do toque e intensidade do movimento

dedos femininos lubrificados tocando flor

Pessoas diferentes têm sensibilidades diferentes. E até mesmo no seu corpo os pontos de prazer podem mudar ao longo do tempo, ao longo do ciclo menstrual e ao longo das fases de excitação.

Com isso, a pressão do toque e a intensidade do movimento na região do clitóris podem determinar a diferença entre a sensação de prazer e a sensação de desconforto.

Portanto, ao estimular um clitóris (seu ou de outra pessoa), tenha em mente começar com leveza nos dedos, indo do mais sutil para o mais intenso.

4. Atente-se aos sinais da excitação

mulher tocando o próprio rosto

Lembre-se que uma boa exploratória sensorial contempla o corpo inteiro, inclusive a região ao redor da vulva, que é extremamente sensível e prazerosa, como coxas e nádegas. Não pule essa parte da exploratória sensorial e atente-se aos sinais de excitação, como espasmos, arrepios e a lubrificação da vulva.

5. Movimentos circulares e repetitivos

mulher tomando sol no rosto

Uma vez que esse corpo já está muito excitado e desejante, comece explorando primeiro ao redor da região do clitóris, como o períneo, lábios externos e internos, e vá fazendo uma espécie de suspense ou insinuação. Isso pode te deixar ainda mais excitada.

Em seguida teste no clitóris movimentos circulares e repetitivos que sigam um certo padrão. Permaneça uns minutos no movimento antes de mudar para algo novo, sem pressa. Muitas vezes é a continuidade da repetição que aumenta a carga orgástica e leva ao clímax. Aqui vão algumas ideias para você experimentar:

tipos de estímulos no clitóris

Leia também: Ejaculação feminina: existe? É um orgasmo? Mitos e verdades

Conclusão

Agora que você já sabe o que é o clitóris, sua função no organismo e algumas formas de estimulá-lo, se dê a chance de voltar ao capítulo 1 da sua história e vivenciar a sua sexualidade de uma maneira muito mais positiva e potente.

Considere a autoestimulação (ou masturbação feminina) como uma forma de autocuidado, onde você pode descobrir os estímulos que você mais gosta e as particularidades do seu corpo no conforto da sua individualidade. E sempre que puder, dialogue com as suas parcerias sobre o que você tem descoberto. E lembre-se: prazer é uma questão de saúde!

Quer descobrir a potência prazerosa que habita o seu corpo? Conheça a Terapia Orgástica para mulheres realizada pela Prazerela e agende a sua primeira sessão.

Que tal continuar a leitura?

comentários

Seja a primeira a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.