Início » Orgasmos » Orgasmos múltiplos feminino: O que são? Qual é a sensação?
orgasmos multiplos

Cerca de 14% das mulheres relatam não experimentar orgasmos durante as relações íntimas, e 8% delas não experimentam orgasmos nem mesmo sozinhas, durante seus momentos de masturbação. Esses são dados de pesquisa conduzida pela Prazerela (2018), e que contou com 1.370 respondentes de todas as regiões do Brasil.

Nessa realidade frustrante para muitas mulheres, falar em orgasmos múltiplos pode soar como conto da carochinha. Como assim vivenciar mais de um orgasmo se muitas vezes não conseguimos conquistar sequer o primeiro? Será que existe mesmo essa coisa de orgasmos múltiplos da mulher? Seria o orgasmo múltiplo a mesma coisa que o chamado orgasmo duplo? Afinal, o que é esse fenômeno da potência orgástica feminina que chega a causar inveja até em Caetano Veloso?

 

O que são os orgasmos múltiplos?

o que são orgasmos multiplos

A sensação do orgasmo feminino

 

O orgasmo feminino não apresenta um padrão único e cada mulher descreve a sensação que é provocada no corpo de uma forma muito particular.

De maneira prática, o orgasmo é um pico de prazer, marcado por uma descarga de energia pelo corpo que acontece após um bom acúmulo de tensão e carga sexual. Sua principal característica é a sensação intensa de prazer misturada com certo alívio e satisfação.

 

A intensidade do orgasmo

 

 

intensidade do orgasmo

A intensidade do orgasmo pode variar muito de acordo com a qualidade da excitação e o acúmulo de carga que foi provocado. Um orgasmo curto significa pouco acúmulo de tensão e carga, o que consequentemente leva a uma descarga orgástica também menor, na forma de arrepios e pequenos reflexos involuntários.

Já um orgasmo forte acontece, normalmente, após bastante estimulação e excitação do corpo, e geralmente vem acompanhado de grandes descargas de energia, espasmos intensos, tremores, contração muscular da região genital e um total descontrole selvagem do corpo. A sensação também é um pouco mais prolongada que a dos orgasmos de menor intensidade.

Muitas vezes, após atingir o ápice de prazer, seja através de um orgasmo pequeno e curto ou através de um orgasmo forte e prolongado, as mulheres experimentam uma sensação de relaxamento profundo, mas podem também se sentirem extremamente dispostas e reenergizadas. Há ainda as mulheres que ora experimentam uma sensação, ora outra. Por isso a experiência do orgasmo é algo muito pessoal e único para cada pessoa.

 

Os orgasmos múltiplos

os orgasmos multiplo

Os orgasmos múltiplos acontecem quando, após o primeiro orgasmo, o corpo é capaz de sustentar a excitação e continuar acumulando tensão e carga sexual até que se experimente uma nova descarga prazerosa, vivendo assim picos sucessivos de intenso prazer sem que seja preciso aquele intervalo de pausa e descanso no meio para retomar as energias.

Muitas vezes experimentamos muita sensibilidade após o primeiro orgasmo e temos o impulso de parar imediatamente qualquer tipo de estímulo sexual, seja na região genital ou no restante do corpo. Não nos permitimos continuar a excitação e o processo de acúmulo de tensão e carga que nos levará a novas descargas.

Às vezes isso ocorre porque experimentamos desconforto e agonia com a continuidade do estímulo, e isso é compreensível, mas muitas outras vezes isso ocorre porque não acreditamos que somos capazes de sustentar toda a nossa potência orgástica e vivenciar novas ondas de prazer.

De toda forma, o fato é que, principalmente as pessoas que têm vulva, vagina e clitóris, possuem uma anatomia prazerosa que é programada para vivenciar o prazer dos orgasmos múltiplos.

 

Quais são as sensações causadas por um orgasmo múltiplo?

sensações dos orgasmos multiplos

Assim como a sensação do orgasmo único é particular para cada mulher, também o será a sensação dos orgasmos múltiplos.

Algumas mulheres fazem uma analogia das ondas de prazer dos orgasmos múltiplos com as contrações de um parto. Onde os ciclos acontecem em intervalos de tempo cada vez mais curtos e a intensidade do prazer vai aumentando a cada onda.

Outras comparam com uma montanha russa onde você sobe, sobe, sobe, atinge o clímax, desce um pouquinho e antes que perceba já está subindo de novo. Muitas vezes, levando mais tempo para atingir o primeiro orgasmo do que os orgasmos que se seguem com a continuidade da tensão e da carga sexual. 

Há ainda as mulheres que relatam uma progressão na intensidade dos orgasmos, sendo o primeiro de todos um pouco mais curto e o último tão forte a ponto do corpo ficar mole e continuar tremendo por minutos após o clímax.

O mais importante é notar como a percepção de um orgasmo múltiplo é muito pessoal, e como cada mulher o sentirá de maneira única e será capaz de tirar as suas próprias conclusões a respeito das sensações que experimenta.

Ninguém nunca será capaz de definir por você as sensações experimentadas na sua própria pele.

Leia também: Como aumentar a libido feminina: 4 dicas e reflexões cruciais!

 

O que a ciência sabe sobre os orgasmos múltiplos femininos?

o que a ciência sabe sobre os orgasmos multiplos

A ciência reconhece a existência dos orgasmos múltiplos femininos, mas pouco sabe a seu respeito. A maior parte dos estudos sobre sexualidade feminina destinam seu foco às questões patológicas e reprodutivas da mulher, contemplando muito pouco as questões relacionadas a nossa anatomia e fisiologia prazerosa.

A ausência de estudos na área é resultado da nossa herança cultural, que é patriarcal e machista, com grande interesse no controle do exercício da nossa sexualidade e pouquíssimo interesse no conhecimento sobre os aspectos científicos da nossa potência orgástica. Afinal, conhecimento é poder.

 

O clitóris

clitoris

A anatomia completa do clitóris, com todos os detalhes de sua estrutura, tamanho e inervações, foi identificada apenas em 1998 por Helen O`Connell, pesquisadora australiana especializada em urologia.

Esse órgão com mais de 8 mil terminações nervosas, o dobro das terminações que são encontradas na glande peniana, até onde se sabe, possui a função específica de proporcionar prazer, possuindo papel central na obtenção dos orgasmos femininos.

 

A conexão entre o clitóris e o cérebro

clitoris e cerebro

Existem nervos somáticos e autônomos que conectam o clitóris ao cérebro e que atuam como os principais reguladores do orgasmo feminino. Ou seja, há uma combinação entre estímulos voluntários e involuntários para se chegar ao clímax. Ao estimular o clitóris de maneira direta ou indireta, esses impulsos nervosos são levados ao cérebro por diferentes vias de acesso.

A multiplicidade de trajetos para os impulsos nervosos do prazer é o que leva as pessoas a experimentarem diferentes sensações de orgasmos e pode ser o principal fator relacionado à possibilidade de obtenção dos orgasmos múltiplos femininos.

 

Orgasmos múltiplos masculino: são possíveis?

orgasmos multiplos masculinos

Os orgasmos provocam a ativação de muitas regiões do cérebro. Pessoas com vulva, vagina e clitóris possuem uma anatomia prazerosa programada para vivenciar o prazer dos orgasmos múltiplos porque não experimentam o período refratário após o clímax. Ou seja, diversas regiões do cérebro continuam ativas e respondendo à estimulação e excitação mesmo após o orgasmo.

Já para pessoas com pênis, onde o orgasmo geralmente vem acompanhado da ejaculação, há perda de ereção e a atividade dessas regiões do cérebro fica reduzida, não respondendo mais a estímulos sexuais e exigindo um tempo de recuperação antes que seja possível voltar a atividade e atingir um novo orgasmo.

 

Orgasmos secos

orgasmos secos

Pessoas com pênis, no entanto, podem experimentar a potência dos orgasmos múltiplos através dos orgasmos secos, que ocorre quando o clímax é atingido sem que o mesmo venha acompanhado da ejaculação. Com ausência de ejaculação, não há período refratário e o corpo é capaz de sustentar a tensão e carga sexual por mais tempo.

O controle e a obtenção dos orgasmos secos é algo que se consegue com a prática, mas que poucas pessoas conseguem experimentar no dia a dia. Cabe no entanto, compreender que é possível sim que o corpo tenha a resposta neurológica e muscular do orgasmo sem que isso necessariamente esteja acompanhado do processo de expulsão do esperma (ejaculação).

 

Como aumentar as chances de ter orgasmos múltiplos?

 

Agora que você compreendeu como o orgasmo funciona no corpo, aqui vão algumas dicas para aumentar as suas chances de vivenciá-los.

 

Tudo começa com o relaxamento

como ter orgasmos multiplos

Para potencializar as sensações dos seus orgasmos, é importante que o relaxamento venha antes da excitação. 

Isso ocorre porque, ao encontrarmos um estado de relaxamento, reduzimos a atividade do neocórtex do nosso cérebro, região responsável pela nossa racionalização e tomada de decisão, e ampliamos a conexão com a porção límbica do nosso cérebro, por sua vez responsável pelo processamento das emoções, sensações e sentimentos. Ou seja, ampliamos nossa capacidade de sentir, e nossos orgasmos tem tudo a ver com esse potencial sensitivo.

 

Exploratória sensorial

exploratoria sensorial

Nosso corpo é inteiro erógeno e capaz de nos proporcionar sensações prazerosas. Antes de estimular diretamente a região do seu genital, esteja você sozinha ou acompanhada, desperte primeiramente o seu corpo para receber o prazer através de uma exploratória sensorial.

Você pode começar com um carinho com a ponta dos dedos que passa por todas as regiões do corpo, massagear seus cabelos, seios e coxas, e aí sim começar estimular a região externa da sua vulva, seus lábios externos, lábios internos e o seu clitóris.

 

Variação nos estímulos

variações nos estímulos

Como existem muitas vias de acesso para a transmissão dos impulsos nervosos do prazer, uma das estratégias para obtenção dos orgasmos múltiplos é tanto variar nos estímulos que serão realizados quanto pensar em um grau de evolução para eles. Isso será particularmente interessantes caso você sinta muita sensibilidade na região estimulada depois do primeiro orgasmo.

É interessante também começar os estímulos com uma intensidade mais leve e nas suas regiões menos sensíveis, e gradualmente evoluir para uma intensidade mais forte e nas suas regiões mais sensíveis.

 

Estímulos diretos e indiretos

estímulos diretos e indiretos

Se a princípio você obteve um orgasmo com estímulo direto na glande do clitóris, a pontinha mais visível que fica na região externa da vulva, você pode agora dar mais tensão e carga sexual para o seu corpo fazendo uma estímulo indireto no clitóris por dentro da vagina. 

O ponto G ou área G é justamente essa região de prazer com textura levemente rugosa, mais facilmente identificável quando você já está bastante excitada, e que encontra-se no começo da entrada da vagina. 

Você pode estimular essa região com a ponta dos dedos, por exemplo, pressionando levemente para cima e estimulando indiretamente o seu clitóris. Pode ainda combinar simultaneamente o estímulo direto e indireto com toque nas duas regiões, externa e interna.

Suas chances de vivenciar orgasmos múltiplos podem aumentar ainda mais se você começar utilizando apenas os seus dedos nos primeiros orgasmos, e evoluir no seu processo de tensão e carga sexual adicionando um estímulo na glande do seu clitóris com um vibrador clitoriano (os chamados bullets).

Outros estímulos que você poderá adicionar em seguida são a penetração e até mesmo estímulo da região anal, desde que estes sejam estímulos prazerosos para você.

 

Experimente-se sozinha

experimente-se sozinha

É extremamente interessante fazer esse processo de descoberta pessoal do seu prazer na sua individualidade. Primeiro sozinha para depois pensar em experimentar alguma coisa acompanhada. 

Através da masturbação você poderá conhecer melhor as suas possibilidades de prazer e descobrir suas zonas de maior ou menor sensibilidade sem a tensão de estar compartilhando o momento íntimo com outra pessoa. 

Assim, quando esse momento chegar, você estará muito mais consciente dos seus limites e daquilo que favorece ou desfavorece o seu prazer. Ou seja, a masturbação sozinha pode te ajudar a fortalecer a sua confiança e por consequência deixar o sexo a dois bem mais gostoso!

Leia também: Masturbação Feminina: como ter mais prazer com menos tabu?

 

Orgasmo clitoriano, orgasmo vaginal e orgasmo duplo

tipos de orgasmo

Algumas pessoas farão a distinção entre os tipos de orgasmo chamando um de orgasmo clitoriano, outro de orgasmo vaginal e a combinação entre os dois de orgasmo duplo. Mas o fato é que todos eles são orgasmos clitorianos, o que muda é a região do clitóris que está sendo estimulada, acionando aquelas diferentes vias de conexão com o cérebro e consequentemente provocando sensações variadas de prazer.

Sendo assim, o ponto G se trata de um estímulo indireto no clitóris, qualquer outro ponto com qualquer outro nome, também se trata de um estímulo direto ou indireto no clitóris. É esse órgão potente, com suas diversas inervações e possibilidades de estimulação o que nos torna multiorgásticas. Por isso ele nunca pode ficar de fora quando o assunto é orgasmo múltiplo.

 

Conclusão

 

Mesmo entre as pessoas que experimentam essa sensação prazerosa, ter orgasmos múltiplos é algo raro e desafiador para a maior parte das mulheres e nunca deveria ser colocado como meta nas relações, ou pode acabar gerando muitas frustrações.

As mulheres que conseguem vivenciar os orgasmos múltiplos estão, em geral, mais conscientes do seu próprio corpo e da sua sexualidade. Sabem o que gostam e o que não gostam na hora do sexo ou da autoestimulação. Mas isso não significa que elas tenham mais libido ou maior capacidade de sentir prazer do que as outras. Afinal, vimos como a sensação do orgasmo é muito particular e única para cada pessoa.

No lugar de ter em mente metas e objetivos para o seu momento íntimo, é mais interessante pensar em criar as condições que favoreçam o seu prazer e a sua excitação. E buscar se satisfazer e se divertir ao longo do processo, simplesmente. Se os orgasmos múltiplos vierem, ótimo! Se não vierem, tudo bem, o importante mesmo é que a relação esteja gostosa e prazerosa para todos os envolvidos.

Se você busca uma experiência vivencial para ampliar as suas referências sobre prazer e intimidade nos relacionamentos, aproveite para conhecer o nosso Curso Básico de Massagem Orgástica para Casais. Afinal, todas nós merecemos viver um relacionamento saudável que nos permita uma expressão positiva e potente da nossa individualidade.

Que tal continuar a leitura?

comentários

Seja a primeira a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.