Início » Amor Próprio » Sexo com prazer: a relação sexual sem prazer ainda é opção para você?
sexo com prazer

O sexo poderia ser uma troca potente e honesta entre dois corpos nus (ou mais) interessados em sentir prazer, mas muitas vezes o cenário é outro.

Para muitas pessoas, a relação íntima revela uma série de inseguranças, medos, culpas, vergonhas e autocobrança por agradar o outro. E viver um sexo com prazer nesse cenário torna-se algo verdadeiramente desafiador.

Este artigo pretende repensar o sexo numa perspectiva em que as pessoas com vulva sintam mais prazer, mas também onde todos os envolvidos compreendam o momento íntimo como uma oportunidade de conexão e de expressão potente da sua sexualidade.

Reveja você também o seu conceito de sexo e amplie o seu repertório de conhecimento para que todos saiam mais plenamente realizados na transa.

O que é sexo para você?

o que é sexo

Uma coisa é fato: em qualquer canto desse Brasil você vai encontrar pessoas afirmando que sexo é sinônimo de penetração e que o restante é outra coisa.

Sexo com penetração

Pode até ser que você mesma também acredite nisso. Mas é importante compreendermos que essa associação do sexo com a penetração é o reflexo de uma sociedade falocêntrica. Ou seja, uma sociedade centrada numa suposta superioridade masculina e cisgênero, em que até mesmo o sexo é validado pela presença e pelo protagonismo dos homens cis e seus pênis.

Sexo performático

Essa visão de mundo é fortemente consolidada pelo machismo e pela misoginia (ódio ou aversão às mulheres), e se reflete muitas vezes em um sexo performático e escasso em prazer pra todos os envolvidos.

sexo performático escasso prazer

Sexo é algo muito maior do que isso, e essa crença enraizada na nossa sociedade não só é uma grande ignorância em relação às possibilidades de prazer dos corpos das pessoas com vulva, como também exclui e invalida de forma discriminatória a expressão sexual de uma boa parte da comunidade LGBTQIA+. Que muitas vezes não trata a penetração como protagonista da transa.

Sexo com prazer

Sexo com penetração é, portanto, apenas uma das muitas possibilidades existentes para relação íntima. E mais do que pensar em ter sexo com penetração, deveriamos pensar em ter sexo com prazer! Que por sua vez envolve muitas outras camadas e é algo extremamente subjetivo para cada pessoa. O que é prazeroso para mim pode não ser para você e vice e versa.

Então vamos refletir um pouco mais sobre esse conceito? O que seria para VOCÊ um sexo com prazer?

Leia também: Orgasmos múltiplos feminino: O que são? Qual a sensação?

Sexo e prazer devem andar juntos

sexo e prazer juntos

Que tal o sexo ser sinônimo de encontros, estímulos, peles, olhares, cheiros, afagos, alentos, arrepios, lambidas e cumplicidades? Que tal o sexo com prazer ter relação com uma experiência de corpo inteiro, e não apenas com o contato entre genitais?

Nós vivemos em uma sociedade cujo conceito de sexo, falocêntrico e performático, não só desprivilegia o prazer das pessoas com vulva, cuja zona de maior sensibilidade é o clitóris, frequentemente ignorado na transa. Ela desprivilegia também toda a potente sensorialidade presente em todos os corpos.

A importância dos 5 sentidos

Afinal, nós humanos temos 5 sentidos capazes de nos ajudar a compreender tudo que acontece dentro e fora do nosso corpo: sons, cheiros, temperaturas, gostos, texturas, belezas, etc. Mas o quanto de toda essa nossa potencialidade sensorial costumamos empenhar no sexo?

O quanto de espaço tivemos nas escolas ou nas famílias para aprender sobre essa parte gostosa do sexo, para além das questões patológicas e reprodutivas?

sexo cinco sentidos

Somos seres sensoriais, mas com frequência usamos essa nossa capacidade apenas com o objetivo de cumprir as funções básicas para nossa sobrevivência, vivenciando uma espécie de anestesiamento dos 5 sentidos.

O perigo da vida moderna

Esse é um comportamento muito comum frente a uma vida corrida e acelerada que nos exige a todo momento: viva menos e produza mais. Afinal, quem sempre corre contra o relógio não pode desperdiçar tempo com sensações, sentimentos e emoções, não é mesmo?

O grande problema é que levamos esse modo de viver para a nossa intimidade. Esquecemos que somos seres sensoriais de corpo inteiro e transformamos o sexo em algo tão utilitário quanto o restante de nossas vidas:

  • o sexo só pra dar uma gozada,
  • o sexo pra agradar o outro,
  • o sexo pra fugir de uma conversa difícil,
  • o sexo para provar algo para alguém,
  • o sexo pela quantidade de sexo.

A antítese do sexo com prazer

antítese sexo com prazer

Soma-se a isso um grande desafio para as mulheres que é a construção de uma sociedade que nos ensina:

  • que o nosso prazer deveria estar em dar prazer,
  • que temos que ser atrativas para o outro,
  • que nossos corpos precisam caber em padrões inatingíveis de perfeição:
    • nossos peitos precisam ser duros,
    • nossa cintura fina,
    • nossa pele clara,
    • nossas partes íntimas depiladas.
  • que a gordura não pode balançar ao transar,
  • que a celulite não pode aparecer,
  • que as manchas na pele devem ser escondidas.

São tantas camadas atuando como a antítese do prazer, tantas camadas que impedem as mulheres de entrarem em um estado de profundo relaxamento e entrega na transa, que não é surpreendente que para tantas delas o sexo com prazer seja uma lenda.

Leia também: Zonas erógenas do corpo feminino que você precisa conhecer!

Sexo com prazer para pessoas com vulva

sexo com prazer pessoas com vulva

Outro fato é: historicamente o corpo com vulva sempre foi negligenciado, violado e estudado para atender aos anseios de uma ciência patriarcal e misógina muito mais interessada nos aspectos patológicos e reprodutivos desses corpos do que na sua anatomia e fisiologia prazerosa.

Pessoas com vulva geralmente não tiveram qualquer incentivo para conhecer e tocar esse corpo na individualidade, descobrindo as suas sensibilidades e os seus prazeres.

Como consequência, se entregam para a experiência do sexo com uma outra pessoa sem qualquer conhecimento sobre si, seus gostos, suas preferências e seus limites.

A importância do autoconhecimento

É por isso que costumamos dizer que para um sexo com prazer, é preciso que as pessoas com vulva, primeiramente, conheçam em maior profundidade esse corpo sensorial e repleto de possibilidades de prazer que elas que habitam. E o convite é para que esse processo aconteça primeiro na individualidade para depois acontecer confortavelmente com outra pessoa.

autoconhecimento sexo com prazer

Não que pessoas com pênis não tenham que passar por isso também. Mas historicamente o machismo é permissivo para a autoexploratória e a autodescoberta do corpo com pênis na mesma medida em que é castrador para a autoexploratória e autodescoberta dos corpos com vulva. Então há para essas pessoas a necessidade, muitas vezes, de dar dois passinhos pra trás antes de se cobrar para ter prazer com outra pessoa.

Leia também: Masturbação Feminina: como ter mais prazer com menos tabu?

Conhecendo a anatomia da vulva

Para te ajudar a conhecer um pouco mais sobre a anatomia prazerosa da vulva, vamos nos apoiar nesta imagem ilustrativa.

o que é vulva anatomia

monte púbico (1), prepúcio do clitóris (2), clitóris (3), lábios externos (4), lábios internos (5), entrada da uretra (6), glândulas Anarcha (7), entrada da vagina (8), glândulas Lucy & Betsey (9), e próxima a toda essa estrutura principal da vulva ainda está o períneo (10) e o ânus (11).

Todas as regiões destacadas na ilustração são zonas de muita sensibilidade prazerosa da vulva, e que merecem ser contempladas na hora da exploratória sexual para uma experiência mais prazerosa com toques, carícias, beijos, lambidas.

Naquele sexo reto, bate estaca, focado em penetração na vagina e sem qualquer malemolência na cintura o que acontece é uma total negligência dessas regiões ao redor.

A sensibilidade do clitóris, “o botão do prazer”

E isso é particularmente ruim para as pessoas com vulva porque a maior parte da nossa sensibilidade se encontra no clitóris, que tem cerca de 8 mil terminações nervosas e é capaz de proporcionar muito prazer ao ser estimulado.

clitóris sensibilidade sexo com prazer

Essa sensibilidade do clitóris chega a ser maior do que a que temos na íris do nosso olho, você sabia? Mas enquanto um dedo na íris do olho é algo extremamente aflitivo, um dedo na pontinha do clitóris pode ser intensamente prazeroso.

É por essa razão que um sexo que “esquece” da existência do clitóris dificilmente será um sexo com prazer para as pessoas com vulva.

Leia também: O que é vulva? Tipos de vulva, função e estrutura anatômica

O que pode ajudar a aumentar seu prazer durante o sexo?

como aumentar o prazer no sexo

Sintetizando e reforçando o que já foi dito no tópico anterior, autoconhecimento sobre o seu corpo será fundamental para aumentar as suas possibilidades de um sexo com prazer. E para isso sugerimos que esse processo de autodescoberta e autoexploratória aconteçam primeiro na sua individualidade.

Dessa forma você terá mais consciência sobre o seu corpo, seus gostos, preferências e limites.

O papel da libido

Outro fator importante para vivenciarmos um sexo com mais prazer é compreendermos onde estamos investindo a maior parte da nossa libido. E se está sobrando libido para a transa. E se não estiver, tentar investigar o motivo.

libido feminina sexo com prazer

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a libido não é sinônimo de ter desejo de transar. Libido é sinônimo de pulsão de vida, e naturalmente nós empenhamos essa nossa libido nas áreas da nossa vida que mais nos trazem a sensação de reconhecimento e satisfação.

Investir na exploratória sensorial do corpo

Se o sexo é escasso em exploratória sensorial do corpo e não privilegia suas regiões de maior sensibilidade, sua mente vai entender que não faz sentido empenhar a sua libido nessa atividade. Ela vai dar preferência pro trabalho, pra criação dos filhos, pras plantas ou até mesmo pro Netflix.

Fatores que atuam contra o prazer

Outro fator importante que atua contra o nosso prazer é uma mente recheada de preocupações, tensões, listas de tarefas, medos, culpas, vergonhas. Todos esses fatores que impedem o nosso corpo de relaxar e se entregar a uma experiência sensorial.

mente atribulada sexo prazer

Para ter prazer é preciso baixar um pouco a atividade racional da nossa mente, ligada a porção do neocórtex do nosso cérebro, para que ele possa permitir a ativação de uma outra região, chama de límbica, responsável pelo processamento dos nossos sentimentos, emoções e sensações.

Leia também: Como aumentar a libido feminina: 4 dicas e reflexões cruciais!

A cumplicidade no sexo

Mas é claro que nada disso adiantará se a sua parceria não oferecer minimamente um lugar seguro e acolhedor para que você baixe a guarda e expresse a sua sexualidade com toda a potência que ela pode ter. Afinal, a mente também é capaz de perceber quando você está ou não segura e boicotar até as melhores as intenções de prazer.

Nesse ponto, é muito importante a abertura de um espaço para troca e diálogo nas relações. E muitas vezes facilita quando a conversa sobre sexo, gostos, preferências e limites acontece fora da cama, antes do sexo.

Afinal, quando todo mundo já está ali pelado e se sentindo exposto e vulnerável, torna-se muito mais difícil criar a coragem para falar sobre os aspectos mais delicados da nossa sexualidade.

Leia também: Como melhorar o relacionamento? Dicas para mais prazer na intimidade a dois

Conclusão

sexo com prazer autocuidado

Sexo com prazer deveria ser a norma para a maioria das relações, mas para muitos relacionamentos esse ainda é um grande desafio.

Neste artigo buscamos te apresentar uma perspectiva diferente sobre o significado que pode ter esse momento íntimo, trazendo um pouco de reflexão sobre a sensorialidade do corpo, sobre os aspectos repressores da sexualidade que são existentes na nossa sociedade e ainda conhecimento sobre a anatomia dos corpos com vulva, para que você possa ampliar o seu repertório.

Entenda que se permitir sentir prazer com outra pessoa pode ser desafiador, mas que quando você conquista, ele se torna também um ato de amor próprio, de autocuidado com o seu corpo e com a potência sensorial que o habita.

Que as reflexões trazidas até aqui te ajudem a construir uma nova relação com o seu prazer, porque acreditamos que se organizarmos direitinho, todo mundo goza mesmo! Em um sexo com muito mais prazer!

 

Se você busca uma experiência vivencial para ampliar as suas referências sobre prazer e intimidade nos relacionamentos, aproveite para conhecer o nosso Curso Básico de Massagem Orgástica para Casais. Afinal, todas nós merecemos viver um relacionamento saudável que nos permita uma expressão positiva e potente da nossa individualidade.

Que tal continuar a leitura?

comentários

Seja a primeira a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.